Eu digo não ao uso de contrafacção!

Muito se tem falados em blogs de beleza e páginas de facebook sobre o crescente aparecimento de produtos contrafeitos, e pior que isso, crescente numero de blogs de beleza que os usam e que acabam por incentivar ao seu uso.

É o facto de os produtos não serem controlados, o facto de que terceiros se estão a apropriar do bom nome das marcas, que se criaram determinado posicionamento no mercado foi também graças a muito dinheiro investido em investigação e desenvolvimento e em comunicação, enfim são várias as razões que tornam a contrafacção algo mau.

Mas no meu ponto de vista o pior é haver quem incentive ao uso destes artigos, enquanto bloggers temos de ter imenso cuidado com o que escrevemos e aconselhamos, pois acabamos sempre por influenciar (umas vezes mais outras vezes menos) quem lê…e acho que nós bloggers de beleza temos de dar o exemplo!

Eu sei que “ah eu gosto tanto daquele batom da marca X e ele é tão caro”, mas quando não podemos ter por ser muito caro podemos sempre procurar opções mais acessíveis, a Guida tem a rubrica Impossível X Acessivel, eu criei a rubrica BB e tenho a certeza que se procurarem encontrarão vários post do género na blogoesfera, tudo de forma a poder dar-vos alternativas mais baratas, controladas, seguras e eticamente correctas.

Há uns dias, e por isso estou a fazer este post, a Maria do Mantinha de Retalhos perguntou na sua página do blog, o que achavam de se criar um banner para quem queira colocar no seu blog de modo a criar um género de “movimento anti-contrafacção” e fiquei muito feliz quando hoje ela me convidou para fazer o dito banner (por isso o banner também leva a assinatura dela, pois afinal foi ela que sugeriu a criação do banner).

Deixo em baixo então duas medidas do mesmo para quem queira usar e convido já agora a fazerem um post sobre o assunto de modo a sensibilizar as vossas leitoras para este caso.


8 comentários, deixa também o teu!

  1. Eu confesso que não sou contra nem a favor, e respeito ambos as partes!
    Compreendo que tenhas essa posição até porque também tu tens uma Marca e acho que a deves defender (que aliás é excelente e mal posso esperar por mais um lançamento). No meu caso não penso muito na questão logistica, embora concorde que as marcas gastam umas boas centenas de euros em investigações e afins para criar produtos dignos da nossa confiança, eu não os compro porque sei que não vou encontrar num produto contrafaccionado com a qualidade do produto real.

  2. Mini diz:

    Pior que isso tudo ainda são as pessoas comprarem sem saber que lhes pode vir a fazer mal à pele..

  3. marta diz:

    Boa tarde,

    Sigo o teu blog já há algum tempo e nunca tinha comentado.. Dado à recente polêmica, decidi deixar aqui a minha opinião, eu sou nem contra nem a favor da compra de produtos contrafeitos, desde que a marca ou site diga nos que são contrafeitos, ai ao comprarmos estamos a fazê-lo por nossa conta e risco, a meu ver os produtos originais são sempre de melhor qualidade e confiança.
    No entanto, não querendo ofender-te, acho contraditório dizeres que és contra esses produtos, mas compras/dão-te/publicitas um site de roupas contrafeito- oasap, que mais grave de tudo não informam ao cliente que são roupas contrafeitas. Soube disto porque comprei uma camisola na zara em saldos no ano passado a 5euros, no site da oasap estava a tshirt não referia que era da zara e estava por 15euros.

    1. Marta, se não diz ZARA na etiqueta então não é contrafacção, quantas lojas inclusive a ZARA copiam modelos de outras marcas mais caras?
      São imensas essas lojas mais económicas que copiam exactamente os modelos de grandes grifes, e não estão a fazer contrafacção apenas a copiar ou inspirarem-se num modelo o que é diferente…
      Se a camisola na OASAP não diz ZARA na etiqueta então não está a fazer artigos contrafeitos apenas copia os modelos, coisa ao qual a apropria ZARA não pode apontar o dedo.
      Tenho sim várias peças da OASAP e nenhuma delas vem com etiquetas cortadas, nem a dizer ZARA ou algo que valha que possa ligar aquela peça à ZARA ou a outra marca do grupo INDITEX.
      Mas, apesar de ser condenável, não vamos comparar o uso de roupa contrafeita com o uso de cosméticos contrafeitos…acho que ninguém vai parar ao hospital por usar umas Levi’s ali da feira…

      1. marta diz:

        Olha que a roupa contrafeita muitas vezes é feita com produtos toxicos nocivos para a nossa saude e claro está encontra-se em contacto com a tua pele.
        A zara tem uma larga historia de realizar inspirações de roupas de grandes marcas, não as executa da mesma forma e existem sempre pormenores que não são iguais. Nunca fiz nenhuma encomenda nesse site, mas conheço gente que fez e veio com etiqueta da Zara e H&M. O principio é o mesmo utilizam a marca e os designs para obter lucros indevidos. Já agora sei que pelo menos a H&M têm a sua própria equipa de designers e nao costumam fazer “inspirações como a zara faz”, como devem sentir-se essas equipas de designers que vêm o seu trabalho a ser roubado?

        1. Olha Marta, eu só falo quanto a mim, as peças que tenho de lá (umas 4 ou 5) nenhuma veio até hoje com alguma etiqueta estranha, as pessoas que conheço que as têm também nunca me relataram esse facto, no dia que vier eu deixo de comprar e torno também o caso publico.
          Contudo soube também de uma situação estranha com eles e quando confrontados com isso explicaram que que muitas vezes compravam excedentes de outras colecções, e que iam ter mais cuidado, que tinham tantos fornecedores que por vezes aconteciam coisas dessas, mas que agora andavam a controlar mais pois não querem incorrer em ilegalidades. A Oasap é uma loja de roupa não é uma marca que fabrica como a Zara que tem as lojas e a sua própria marca de roupa, logo como loja de roupa compra artigos a vários fornecedores.
          Quanto aos modelos, quando as marcas fizerem algo inovador é fácil que patenteiem os modelos, se existir patente como a ZPalette tem por exemplo para as suas paletas, já ninguém pode fazer exactamente igual…até lá a cópia de modelos aos olhos da lei não é ilegal.
          O que meti em causa neste post foi sobretudo o uso de cosméticos contrafeitos, para alertar para esse perigo, cada um é livre de seguir ou não o conselho.
          Eu não faço nada ilegal nem pactuo com coisas ilegais, por isso tenho a consciência tranquila

  4. baby diz:

    olá tania…
    concordo contigo…”não à contrafacção”

    Por todas as razões…pela saúde da nossa pele…pelo respeito que devemos ter pelos direitos de autor…
    A Too Faced, a Urban Decay e MAC etc…têm que passar por testes de qualidade para entrar no mercado.

    Os engenheiros quimicos analisam os ingredientes do produto para garantir que está dentro da norma…que são seguros para a nossa pele e olhos…

    Andam aí umas meninas noutros blogs a dizer que são: “replicas de marca X”, São o quê? São “FALSIFICAÇÕES DA MARCA X” usam a palavra réplicas porque parece mais chique…que vergonha!!!

    Meninas…não têm $ para a UD Naked optem pela marca NYX por exemplo que tem sombras bastante boas pelo preço…até a marca Catrice tem umas boas

    Essas falsificações são provenientes da China e algumas estão contaminadas com niveis bastante altos de chumbo (cancerigeno em quantidades elevadas) basta ir ao google para constatar esse facto…

    tchau tania 😉

    1. Obrigada pelo teu comentário 🙂
      bjs

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *